11 de mar de 2009

Essa não é uma história triste!

Minha mãe nasceu no dia 11 de março de 1948.
Com 11 anos veio morar em Curitiba para trabalhar de empregada doméstica.
Com 18 conheceu meu pai e casou, não casamento tradicional, com Igreja ou Tabelião, casou da maneira mais verdadeira, casou porque amava e já esperava um filhinho, o primeiro de cinco.
Quando fez 30 anos, juntou os cinco filhos e mais um cachorrinho vira-latas e foi embora, meu pai apesar de ser um homem lindo e trabalhador tinha um vício, era alcoolátra, bebia muito e quando bebia ficava violento, ameaçava bater nela e uma vez ameaçou matá-la.
Com 5 filhos, ela se virava como podia, fazia faxinas de segunda a sábado, e com o pouco tempo que tinha para ficar em casa, ela trabalhava muito, limpava a bagunça feita por cinco crianças, cozinhava, ia ao mercado e as vezes ainda arrumava tempo para nos dar uma mimada, fazendo bolo, pipoca ou sorvetinho de congelador.
Quando tinha 32 anos conheceu meu padrasto, nessa mesma época começou a trabalhar no Restaurante Universitário como copeira(foi subindo de posto até se tornar chefe) e nossa vida apesar de dificil ficou um pouco mais leve, e essa leveza veio com meu padrasto, não porque ele nos dava suporte financeiro, mas porque ele nos ensinou a aproveitar mais a vida com coisas simples.
Mais ou menos quando minha mãe tinha 35 anos meu padrasto veio morar conosco, eu que sempre brincava que "Éramos Seis", subimos o posto para 7, e éramos felizes assim.
Com os filhos crescidos, os dois mais velhos começaram a trabalhar para ajudar minha mãe a realizar um sonho, o de construir uma casa maior, e esse sonho ela realizou.
Quando minha mãe tinha 38 anos sofreu o maior golpe do destino que uma mãe pode sofrer, perdeu um filho de 17 anos. Ela não chorava na nossa frente, não sofria e nem perguntava a Deus o por quê dela sofrer tal golpe, ela se resignou, mas nos os filhos sabíamos que ela sofria e a supriamos de um amor extra e chegavamos até a mimá-la, cada um ao seu modo.
Passado um ano dificil, um natal beirando o triste, minha mãe deu a volta por cima.
Voltou a sorrir de maneira espontânea, não apenas para nos mostrar que ela sobreviveria a perda, mas porque a vida voltou a sorrir para nós.
Saiu para conhecer um pouco mais do Sul do país, passeou pelo Rio Grande e Santa Catarina,e uma única vez foi ao Rio de Janeiro, voltou encantada com ele, e passou esse amor pelo Rio para mim.
Quando tinha 43 anos seu filho mais velho casou-se, ela estava um pouco a avessa com o casamento, mas organizou tudo de maneira bonita e simples em um mês. Fez com gosto, porque se não era assim, ela nem fazia.
Em 1994, a espera da primeira neta era o assunto da família, tudo era para essa pequena criatura que todos esperavamos com ansiedade, minha mãe organizou o enxoval completinho da netinha que tinha data prevista para chegar em março.
No carnaval desse ano, numa terça-feira dia 15, minha mãe fechou os olhos e continuou o sono que começou na segunda. Morreu dormindo, calmamente, como ela mesma havia falado para mim que queria, teve um infarto fulminante, morreu sorrindo e pode conhecer a neta antes da gente.
Minha mãe era de uma força que vi em poucas mulheres, era alegre e intensa. Dela eu herdei os lábios(superior fino e inferior grosso), a voz aguda quando fico nervosa, a mania de ariar as panelas(heheheh), a necessidade de casa limpa e organizada e o gosto por pessoas. De bens materiais fiquei com alguns colares, brincos e as louças.
Sinto falta dela em alguns momentos da minha vida, quando o Caio nasceu eu queria muito ouvir que ele tinha algo parecido comigo, porque todos só falavam que era a cara do pai, eu queria ver ela ajudando a organizar a festa de 15 anos da primeira neta, queria ver todas as crianças, no total de 10, na casa da avó, comendo bolo de chocolate e bis(que ela sempre tinha), ela organizando passeios a parques e rios para piquiniques, porque ela adorava fazer isso.
Veja só como somos parecidas, eu ainda não havia me dado conta de que usavamos o cabelo partido para o mesmo lado!

16 comentários:

Tania Pimenta disse...

Lindo Soninha!! Viu como mãe cura urucubaca? Não importa onde estejam, estão sempre olhando pela gente! Beijins

Bel disse...

Ai ... Soninha do Céu!
Hoje fui eu que quase molhei o teclado. Que coisa mais linda acompanhar o percurso da tua mãe... e por consequência ... de todos vocês! Que bela caminhada essa! Que bela despedida ... ir dormindo: isso é merecimento. Sem dores maiores, sem sofrimentos . Benza Deus!
Ô querida ... que bom saber um pouco mais de ti. Gosto cada vez mais do que vejo e sinto ... em ti e em teus frutos vivos e lindos.

Um grande beijo.
Saudade é alimento!
Bel

Chris disse...

Que lindo o que vc escreveu Soninha! Lindo, lindo!! E sua mae!? Nossa!! Linda, muito linda! Fico me perguntando que as fotos 3X4 de antigamente deixavam as pessoas muito mais bonitas! Olha que cabelo lindo, impecavel da sua mae! Os shampoos da epoca deviam ser melhores!!
E realmente voces se parecem demais!! O formato do rosto, os labios, o nariz e acho que o cabelo tbm!! Ahh e a maca do rosto!! =]
Eu sempre me sinto muito bem em ler historias assim, bonitas e de sucesso! E essa morte foi mesmo uma forma muito abencoada de se ir, eu tbm quero morrer assim, dormindo, bem tranquila, mas isso so daqui ha 70 anos! Se Deus quiser! =]
Com certeza ela esta num lugarzinho especial vendo os netinhos lindos, pescando, brincando, e esta muito orgulhosa da filha e da familia da filha!
=]

E voces tem um olhar muito lindo!!

bju bju

Carlinha disse...

Soninha você me emocionou muito.
Sua mãe foi mesmo uma pessoa especial e por isso Deus a quis tão rápido ao lado Dele.
Olha, você é a caaaara da sua Mãe, é impressionate!
Você passou uma paz grande para mim agora, uma paz que eu estava realmente precisando.
Amo você e você é especial demais.

Bel disse...

Esqueci de dizer ... beleza hereditária essa tua! É impressionante mesmo ... a semelhança.
Outro beijo ...
Sim... o projeto vem dando bons frutos ... mas estamos no meio do processo. os filmes serão gravados em junho e julho... até lá é investigação. Está puxado mas estou tão feliz!

Bel

Amanda Marina ♥ disse...

AAhh!
Que lindo tia *--*
Nossa, hoje é aniversario dela! É mesmo, nem lembrei :$
Mas de qualquer forma meu celular ia apitar dizendo "Niver Vó Marina"

Vou te copiar, hahá!

Beeijos*

Nina disse...

Ahh Soninha, essa saudade danada que bate à nossa porta de vez em quando, trazendo essas coisas bonitas. Que linda dona Marina,como se parecem, meu Deus! Impressionante. Eu vejo coisas dela no Caio, será só impressão?

Sua mãe foi um lindo exemplo, e eu to aqui chorando horrores, tu me fez abrir as torneirinhas hoje mesmo :)
Batalhadora, pra caramba, e com essa forca incrível, e exatamente como a minha, largou um marido, teve 5 filhos, arrumou outro marido, se fez leve, que bom! que bom!

Um beijao pra ti, pequena, nem consigo escrever mais nada, to emocionada ... tava esperando o dia que vc iria falar dela...

Renata disse...

Ai, Soninha!!!!

Que lindo!!!!!

Que lindas!!!!!!! As duas!!!!!!!

Que bom ter recordações tão doces e fortes de alguém tão querido. Não é difícil saber de onde veio todo esse carisma que emana de ti.....

Beijo grande,

Rê.

Lúcia disse...

Oi, Sonia! Realmente vcs são muito parecidas! Sua mãe foi um exemplo de mulher, amei a história! Bjs

lioness disse...

Que história linda, apesar de sofrida. Sim, vocês parecem irmãs. Inacreditável a semelhança.
Com sua mãe podemos aprender mais sobre a vida do que uma universidade tem a ensinar.

Marcia disse...

Pôxa vida, que linda!

E é verdade, vocês duas são muito parecidas.

Mulher guerreira a sua mãe, que bom que você herdou tantas coisas dela.

bjux irmãzinha!

Marsyah disse...

Soninha, você é uma fofa, sabia?
Quero demais conhecer você pessoalmente...

Agora fiquei pensando... Acho que Caê fez a música pra vocês duas.

bjux, bjux querida!

Sabrina Jung disse...

Soninha!
Esta não é uma história triste. É uma história linda, de uma mulher batalhadora, que criou seus filhos sem deixar faltar o mais importante, amor! Apesar da origem humilde, ela foi uma vencedora e apesar dos duros golpes da vida, seguiu em frente, não se deixou abater e cumpriu sua missão.
Deixou uma família linda e unida!
Parabéns pra ela!
Parabéns pra ti, que teve o privilégio de ter uma mãe tão maravilhosa e admirável assim!!
Vocês são bem parecidas mesmo!
Agora eu sei de quem tu herdou a cara de gente boa!
Te adoro de montão!!!!!
Bjokas!!!!

Clara Sousa disse...

Sonia passei por essa perdae como diria renato russo : "cedo demais" mas sua mãe foi uma mulher batalhadora. muito bonita a história dela.eu sou muito emotiva não me contive e chorei...
mas uma liçãod e vida dessa quam não chora? e não se encoraja hein ?
beijos e belo fim de semana!!

Marisa Pimenta disse...

Lindo seu post, mas tenha certeza q sua mãe está sempre ao seu lado, eu, infelizmente não conheci a minha, morreu do meu parto, mas tive a melhor mãe do mundo q além de fantástica me ensinou a ser a mãe q sou hoje. Ela foi valente até o fim, mas chegou aos 82 anos e conheceu as dua netas mais velhas. Mãe é a melhor coisa q existe, sem elas não s´ríamos nada!
Bjks no coração

Laura disse...

Tenho uma pessoa em casa que se parece incrivelmente com a sua mãe. É a minha mãe. Viúva, aos trinta anos, lutou muito para criar a mim e a minha irmã. Semblante frágil, mas por dentro é de uma fortaleza invejável. Linda a sua estória. Também amo a minha. Somos felizes por ter e por ter tido mães tão guerreiras. Bjs.