30 de jun de 2008

Minha melhor amiga

Minha melhor amiga esteve aqui.
Foi revigorante vê-la.
Tava roxinha de saudades, ainda mais agora que ela tem um pacotinho de amor dentro dela...
A gente se fala quase todo dia por telefone.
A gente se vê quase sempre por fotos atualizadas, em e-mail com assuntos doidinhos.
Mas tê-la aqui durante um fim de semana todo, foi incrível.
Tudo bem que minha afilhadinha não pode vir junto, e que isso me deixou triste, porque sou enlouquecida pelos meus sobrinhos, amo muito como se fossem meus afilhadinhos também.
Minha melhor amiga por muita sorte minha é minha irmã, ela me conhece desde sempre, toma minhas dores, fica feliz comigo e quando éramos meninas dividíamos o guarda roupas sem neuras, desde que eu ficasse longe do seu jeans "staroup", de resto era tranqüilo.
Foi um suspiro de felicidade no meio de um mês tão cheio de correria.
Agora eu tô pronta pra outra, esperando que ela e a minha afilhadinha venham nas férias também, porque até lá meu pote de saudades já estará até a boca novamente.

25 de jun de 2008

As flores pelo meu caminho

No domingo fui pro sítio de uma tia muito querida, fazia tempo que eu não ia lá, trouxe comigo algumas flores...



24 de jun de 2008

Decreto


Esse mês e fica decretado que não terei mais TPM, crises de choro, angústia, tristeza, depressão, mudança de humor e falta de generosidade.
Ao primeiro sinal de TPM, escutarei Slave to Love e voltarei a França no ano de 95.
Quando for ter uma crise de choro, sentarei e pegarei o albúm dos meninos, taí um ótimo motivo pra chorar(alegrias).
Quando me sentir angustiada pegarei o livro "Angústia" do Graciliano e lerei o primeiro capítulo inteiro sem inventar um motivo pra parar.
Quando a tristeza tentar passar pelo solar da minha porta cantarei bem alto "Viver e não ter a vergonha de ser feliz!!!!".
No menor sinal de depressão vou olhar pra caixa de fluoxetina, vou fazer uma pesquisa de preços nas farmácias e provar pra mim mesma que não vale o preço.
Com a mudança de humor vai ser dificil. Mas bravamente tentarei me manter calma e equilibrada nos próximos 30 dias.
Falta de generosidade é no sentido mais amplo do negócio, vai desde emprestar meus ouvidos e ombros pra escutar velhos problemas alheios, e tentarei no maior esforço não pensar assim: Se o problema tem solução pra que se preocupar, se não por que se preocupar?, funciona bem pra mim, mas existe pessoas que não estão preparadas pelo apego em SEUS problemas que não gostariam de ouvir isso, a não ser tão sarcástica, etc, etc e tal

P.S.: Maridão achou a foto a cima um lixo hehehehehehe

20 de jun de 2008

produtos NADA notáveis

(a+b).(a+b) = a²+ab+ab+b² = a²+2ab+b²
(a-b).(a-b) = a²-ab-ab+b² = a²-2ab+b²
(a+b+c).(a+b+c)=a²+ab+ac+ab+b²+bc+ac+bc+c²
Somando os termos semelhantes: a²+b²+c²+2ab+2bc+2ac
Produtos Notáveis são aqueles produtos que são freqüentemente usados e para evitar a multiplicação de termo a termo, existem algumas fórmulas que convém serem memorizadas.
1) Soma pela diferença: quadrado do primeiro menos o quadrado do segundo.
( a + b ).( a – b ) = a² - b²
2) Quadrado da soma: quadrado do primeiro, mais duas vezes o primeiro pelo segundo, mais o quadrado do segundo.
( a + b )² = a² + 2ab +b²
3) Quadrado da diferença: quadrado do primeiro, menos duas vezes o primeiro pelo segundo, mais o quadrado do segundo.
( a – b )² = a² - 2ab + b²
Existem muitas outras outras fórmulas:
( a + b ) ³ = a³ + 3 a ²b + 3ab² + b³
(a – b )³ = a³ - 3 a²b + 3ab² - b³
ENTENDEU????

Esse foi o meu pesadelo durante dois anos na sétima série, isso mesmo dois anos!
Reprovei a sétima série por não entender de jeito nenhum o que parecia notável. O produto.
Que trabalho danado me deu entender isso, que raiva, quantas e quantas páginas de caderno pra exercitar o que não entendia.
E de quebra peguei o mesmo professor nas duas sétimas, para mim era o fim, porque não conseguia simpatizar com ele, me doía, me enraivecia vê-lo tratar da minha total falta de entendimento como ignorância, se fosse nos tempos de hoje eu até poderia tê-lo processado por me expor ao ridículo(hehehehe).
Na época eu pensava "que diabos farei com isso?", os mais caridosos falavam que quando eu fosse adulta entenderia e usaria.
Ótimo sou adulta entendo e não uso pra nada.
Quando vou ao mercado, na hora de pegar a maionese na prateleira não tem uma plaquinha me dizendo que tenho que saber se (a+b).(a+b)= a²+ab+ab+b²= a²+2ab+b², pra que eu dê o resultado em valor de reais pra poder levar a maionese certo?
Quando vou no Shopping o valor da promoção não vem assim: (a+b)² = a²+2ab+b
E no banco. Quando vou falar com um gerente a respeito de um investimento a curto prazo ele não pega um papel e lápis e tenta calcular pra mim usando o tal do produto pouco notável...
Por outro lado, acho uma injustiça danada ter aprendido juros, inflação, renda, capitalização e outras coisinhas muito pertinentes, mal e porcamente. Mal explicaram e nos livros que usei não se perdia nem um capítulo pra se falar nisso. E olha que quando eu cursei a quinta série inflação era algo que causava resseção, tinha falta de leite, feijão, carne e por ai vai. Era algo palpável. Já o tal do produto...
Outra coisa que não tive na escola foi LÓGICA, isso teria tornado minha vida muito mais simples e a matetica menos assustadora.
Ma nínguem perguntou pra mim no alto da minha sabedoria com 13 anos se tudo o que vi em matetica era importante pra mim, se o curso que eu sonhava fazer, se a profissão que eu iria escolher ou a vida que eu pretendia levar dependia de saber produtos notáveis ou equações biquadrada. Nínguem quis saber o que eu pensava.
Resultado:
Sou uma pessoa que ainda não fez as pazes com os números, sou uma revoltada com a matetica.
Mas, estou aos poucos tentando dar meus primeiros passos em direção a uma conciliação. Amigas não seremos de jeito nenhum, pensamos diferentes, mas tenho que aceitá-la porque meu filho é apaixonado por ela. Gosta e se diverte com ela, então tenho que aceitar que a primeira paixão dele, não é e nem será a linda menina de cabelos escuros e sim a mateMÁtica, com todos os seus produtos, logaritimos, equações, teoremas e gráficos.

14 de jun de 2008

Os meus queridinhos

Gosto demais de "perder" 2 horas(as vezes mais ou menos), na frente de uma tela de cinema ou TV, vendo e revendo meus filminhos, alguns tenho em casa, outros ainda estou esperando o preço baixar... Mas é sempre uma delícia quando vejo que vai passar na TV, pode até ser na sessão da tarde ou na TV paga, tanto faz o prazer é o mesmo.
Feitiço do tempo - Groundhog day, "dia da marmota" no título original com Bill Murray e Andie MacDowell.
O Advogado do Diabo - The Devil Advocate com Keanu Reeves, Al Pacino e Charlize Theron
Um Lugar Chamado Notting Hill - Notting Hill, com Hugh Grant e Julia Roberts
A História de Nós Dois - The Story of Us, com Bruce Willis e Michelle Pfeiffer
Memórias de uma Gueixa - Memoirs of a Geisha, com com Zhang Ziyi, Michelle Yeoh e Ken Watanabe(O Ultimo Samurai)
Primavera, Verão, Outono, Inverno e... Primavera - Bom Yeorum Gaeul Gyeoul Geurigo Bom, ninguém famoso nos trópicos!
Grease - Nos Tempos da Brilhantina - Grease, com John Travolta e Olivia Newton-John
Curtindo a Vida Adoidado - Ferris Bueller's Day Off, com Matthew Broderick e Jennifer Grey(a Baby de Dirty Dancing!)
A Fantástica Fábrica de Chocolate - Willy Wonka & the Chocolate Factory, com Gene Wilder, versão de 1971
A listinha não termina aqui, tem pelo menos mais uns vinte ou trinta entre os meus "queridinhos", mas por hora é só(pessoal)

13 de jun de 2008

São tantas emoções

Não sei se é porque dormi pouco(pouquissímo mesmo), se é porque eu estou com uma tosse horrorosa, se é porque ando muito em paz comigo mesma, só sei que estou muuuuuito sensível hoje.
Já chorei vendo a reprise do programa da Oprah, já chorei vendo algum pedaços do filme "Casamento do Meu Melhor Amigo", Vendo o finalzinho de "Ghost Whisperer",na porpaganda do Pão de Açucar, lendo o Para Francisco...
Tô numa torneirinha aberta sem fim. E tô assim, não tô separando o triste do alegre não.O Caio foi pra escola com o pai dele e não me deu beijo, pronto chorei. Na contramão chorei com o Pedro falando que quer namorar comigo...
Não estou nem perto da TPM, vou por a culpa em que? hehehe

Amanhã passa.
Tudo passa, tudo passará!

11 de jun de 2008

Mais um dia com você!



Um dia, ao telefone ele falou que tinha uma música que o fazia lembrar de mim, botou pra tocar ali mesmo, no telefone num interurbano que costumavámos fazer todos os dias as 8:15 da noite. E foi assim que For Your Babies, se tornou a nossa música tema, isso foi em 1993 e dura até hoje!
Davi, eu te amo mesmo quando parece que o amor não está aqui!

Desafio...(paca, pouco ou picas)

A Nina, me passou o seguinte desfaio: listar 6 coisas às quais eu não dou importância.
Pra ser muuuuuuito sincera tô achando muito difícil porque sei do que não gosto, então fiz a minha listinha assim, colocando o que pouco tem importância e o que me irrita mesmo.

NÃO DOU IMPORTÂNCIA:
1. pros cachorros da vizinhança quando resolvem latir a noite toda, em compensação se minha cadelinha abre sua linda boquinha, me leva a loucura!
2. para aparência física, seja a pessoa, gorda ou magra, alta ou baixa, cabeluda ou careca, tatuada ou cheia de piercings, tortinha ou super reta... E por aí vai. Por outro lado me aborreço facinho facinho com a burrice, ignorância e preconceito.
3. moda pra mim, geralmente fica muito mais bonito nos outros do que em mim, sigo minha própria tendência, que é usar o que é bonito, confortável, com cores alegres e muito prático, nas avessas disso, me incomoda demais esse lance de grife, não gosto muito de pessoas mural ou outdoor que levam mais em conta a marca do que o produto...
4. nível social, financeiro, educacional...
mas sempre me vejo defendendo com unhas, garras e dentes os menos privilegiados.
5. celulite, estria, varizes, manchinhas, cabelo enrolado, cabelo muito liso, pra mim isso só diferencia o ser humano, pode ter certeza, minhas celulites, varizes, estrias não são iguais as suas!
6. e isso eu só aprendi faz pouquissímo tempo: bagunça de filhos e marido são permanentes, não adianta ficar igual uma louca compulsiva atras dos danados pra que eles arrumem. Não adianta gritar, chorar, fazer ameaças de morte e nem dizer que vai se enforcar no pé de couve. A ordem de cada individuo e diferente no seu ponto de vista. Por outro lado... fico enlouquecida se minha gaveta de calcinhas fica bagunçada.

Agora pra prosseguir o desafio eu teria que mandar pra outras pessoas também. Como sou nova por aqui e conheço praticamente as mesmas pessoas que a Nina, vou mandar pras minhas comadres aqui de perto via e-mail mesmo ok?

7 de jun de 2008

Para se viver um grande amor


Para se viver um grande amor não basta apenas amar, tem que ter paciência(de Jó), um estômago de avestruz(pra engolir sapos), uma sabedoria(Budista), ouvidos(de penico, porque com certeza vamos ouvir muita M...), humor, noção de espaço, silêncio(sim!)e umas coisinhas que quando eu era criança chamava de "semâncol e desconfiômetro".
Porque o amor é frágil, fácil de ser corrompido, fácil de se esquecer...
Há de se ter também, sintonia.
Olhar para o outro, não como parte de nós, e sim como indíviduo, que sofre, que chora, que fica num mal humor danado, que tem dor de barriga, insônia, medos,que tem fome de madrugada, que não entende nada e que as vezes é até um "zé mané".
Amar o outro não é criar dele uma versão do que somos, é amar os defeitos e as qualidades, porque o outro é o complemento do que queremos ter.
Para se viver um grande amor temos que abrir as janelas alma, ligar a antena do coração e esquecer um pouco da razão.
Hoje ele está de muito mal humor e rabugento.
Sejamos fortes!
Amo. Amo. Amo.

6 de jun de 2008

3 de jun de 2008

Ele, só Ele

A gente se conheceu meio por acaso, ele o primo da noiva, eu a prima do noivo.
Ele me conta que já tinha ficado de olho em mim, eu nem tinha visto ele.
Entre as festas de fim de ano, os noivos(agora casados), que frequentavam sempre minha casa nessa época, resolveram chamá-lo pra ir até a minha casa, já que ele estava sozinho por aqui, ele nessa época morava em Brasília eu Curitiba.
Foi afinidade logo de cara, adorei o jeito que ele ria, ele muito tímido, num ambiente onde só conhecia os noivos, me desdobrei ao máximo pra que ele se sentisse bem. Me apeguei nele logo de cara.
Como ele ainda ia ficar por aqui mais um tempo, combinamos um cinema, mas ficou um combinado meio no ar, minha mãe foi quem me deu o toque pra ligar pra ele. Liguei, fomos ao cinema no dia seguinte. Não deu outra, engatamos um namoro pra lá de improvável. Afinal tinhamos uma distância de 1.400 quilômetros nos separando, e deu muuuuito certo.
A gente sempre dividiu tudo, assuntos sérios, banalidades, filmes, livros e música muita música...
Essa foi o Davi que me apresentou:


"Mon enfant nue sur les galets
Le vent dans tes cheveux défaits
Comme un printemps sur mon trajet
Un diamant tombé d'un coffret
Seule la lumière pourrait
Défaire nos repères secrets
Où mes doigts pris sur tes poignets
Je t'aimais, je t'aime et je t'aimerai


Quoi que tu fasses
L'amour est partout où tu regardes
Dans les moindres recoins de l'espace
Dans le moindre rêve où tu t'attardes
L'amour comme s'il en pleuvait
Nu sur les galets


Le ciel prétend qu'il te connaît
Il est si beau c'est sûrement vrai
Lui qui ne s'approche jamais
Je l'ai vu pris dans tes filets


Le monde a tellement de regrets
Tellement de choses qu'on promet
Une seule pour laquelle je suis fait
Je t'aimais, je t'aime et je t'aimerai


On s'envolera du même quai
Les yeux dans les mêmes reflets
Pour cette vie et celle d'après
Tu seras mon unique projet
Je m'en irai poser tes portraits
A tous les plafonds de tous les palais
Sur tous les murs que je trouverai
Et juste en dessous, j'écrirai
Que seul la lumière pourrait...
Et mes doigts pris sur tes poignets
Je t'aimais, je t'aime et je t'aimerai. "



JE T'AIMAIS, JE T'AIME ET JE T'AIMERAI - FRANCIS CABREL

2 de jun de 2008

Acredito!

Me comovo com a tristeza alheia. Independente do grau de proximidade.
Sofro por quem conheço ou não.
Sou assim, tenho choro frouxo, sentimentos frouxos...

Também me alegro por todos.
Gosto de ouvir um "consegui", gosto de saber boas novas, fico feliz com a felicidade alheia.
Tenho um riso que é quase gargalhada.

Não gosto de pessoas que se desfazem do esforço alheio.
Não gosto de pessoas que esperam uma vida pra falar um "eu te disse".
Não gosto de pessoas que sempre se acham as melhores.
Não gosto de pessoas que falam do que não entendem.
Não gosto de pessoas coitadinhas, que nascem pra ser as mártires de tudo.

Gosto de pessoas que vão a luta.
Gosto de pessoas que não têm medo de errar.
Gosto de pessoas que se expõem sem se exibir.
Gosto de pessoas que dão valor a vida.
Gosto de pessoas que não se arrependem.
Gosto de pessoas que reconhecem um mau julgamento.
Gosto de pessoas que não têm vergonha.
Gosto mais das pessoas do que desgosto, por isso ainda acredito no ser humano e não comprei aquele adesivo de carro que diz:
"Quanto mais conheço a raça humana
mais gosto do meu cachorro"