30 de ago de 2008

Selinho


Mais um selinho!
Olha que coisa mais fofa esse eu ganhei da Flavinha.
Obrigada lindona!

Conceito: Esse selo representa os blogs que amam algo e/ou alguém verdadeiramente (às suas maneiras). Acreditamos que se todos espalhassem um pouquinho desse amor, o mundo seria bem melhor... Seja amor ao parceiro, à família, ao desconhecido, à profissão, aos animais, à natureza, aos amigos, ao mundo em que vivemos!

28 de ago de 2008

O Assunto é Sério!

Lei 11.340/2006 de 07/08/2006 ou Lei Maria da Penha
Cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher, nos termos do § 8o do art. 226 da Constituição Federal, da Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Mulheres e da Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher; dispõe sobre a criação dos Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher; altera o Código de Processo Penal, o Código Penal e a Lei de Execução Penal; e dá outras providências
Por que Lei Maria da Penha?
O caso nº 12.051/OEA de Maria da Penha(tambem conhecida como Leticia Rabelo ) Maia Fernandes foi o caso homenagem a lei 11.340. Agredida pelo marido durante seis anos. Em 1983, por duas vezes, ele tentou assassiná-la. Na primeira com arma de fogo deixando-a paraplégica e na segunda por eletrocução e afogamento. O marido de Maria da Penha só foi punido depois de 19 anos de julgamento e ficou apenas dois anos em regime fechado.
Em razão desse fato, o Centro pela Justiça pelo Direito Internacional (CEJIL) e o Comitê Latino-Americano de Defesa dos Direitos da Mulher (CLADEM), juntamente com a vítima, formalizaram uma denúncia à Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA que é um órgão internacional responsável pelo arquivamento de comunicações decorrentes de violação desses acordos internacionais.
O que eu li sobre Maria da Penha:
Maria da Penha Maia
A biofarmacêutica Maria da Penha Maia lutou durante 20 anos para ver seu agressor condenado. Ela virou símbolo contra a violência doméstica.
Em 1983, o marido de Maria da Penha Maia, o professor universitário Marco Antonio Herredia, tentou matá-la duas vezes. Na primeira vez, deu um tiro e ela ficou paraplégica. Na segunda, tentou eletrocutá-la. Na ocasião, ela tinha 38 anos e três filhas, entre 6 e 2 anos de idade.
A investigação começou em junho do mesmo ano, mas a denúncia só foi apresentada ao Ministério Público Estadual em setembro de 1984. Oito anos depois, Herredia foi condenado a oito anos de prisão, mas usou de recursos jurídicos para protelar o cumprimento da pena.
O caso chegou à Comissão Interamericana dos Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA), que acatou, pela primeira vez, a denúncia de um crime de violência doméstica. Herredia foi preso em 28 de outubro de 2002 e cumpriu dois anos de prisão. Hoje, está em liberdade.
Após às tentativas de homicídio, Maria da Penha Maia começou a atuar em movimentos sociais contra violência e impunidade e hoje é coordenadora de Estudos, Pesquisas e Publicações da Associação de Parentes e Amigos de Vítimas de Violência (APAVV) no seu estado, o Ceará.
Ela comemorou a aprovação da lei. "Eu acho que a sociedade estava aguardando essa lei. A mulher não tem mais vergonha [de denunciar]. Ela não tinha condição de denunciar e se atendida na preservação da sua vida", lembrou. Maria da Penha recomenda que a mulher denuncie a partir da primeira agressão. "Não adianta conviver. Porque a cada dia essa agressão vai aumentar e terminar em assassinato."
Um pouco mais sobre o entendimento da Lei:
A lei também traz uma série de medidas para proteger a mulher agredida, que está em situação de agressão ou cuja vida corre riscos. Entre elas, a saída do agressor de casa, a proteção dos filhos e o direito de a mulher reaver seus bens e cancelar procurações feitas em nome do agressor. A violência psicológica passa a ser caracterizada também como violência doméstica.
A mulher poderá também ficar seis meses afastada do trabalho sem perder o emprego se for constatada a necessidade de manutenção de sua integridade física ou psicológica.
O Brasil passa a ser o 18.º da América latina a contar com uma lei específica para os casos de violência doméstica e familiar contra a mulher, que fica assim definida: qualquer ação ou omissão baseada no gênero que lhe cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou patrimonial. O texto define as formas de violência vividas por mulheres no cotidiano: física, psicológica, sexual, patrimonial e moral.
Pulseirinha da Atitude(Avon).

Fontes de Pesquisa: Constiuição Federal.
Radiobras/Agência Brasil, Agência Estado, SEPM, Cfemea)
Wikipédia

27 de ago de 2008

Eu, Eu Mesma e Sonia

O título é plágio puro, mas é que eu gosto tanto de falar assim.
Só pra me exibir(ou inzibir-como eu falava quando era criança).
Olha eu chic-chic com o maridones.
No mesmo dia das anteninhas:)
(tava tão faceirinha que esqueci o batom)

26 de ago de 2008

Pensamento do Dia

Eu ainda prefiro uma Mulher Melancia a um Homem/Mulher Banana!
hahahaha

25 de ago de 2008

O Cabelón!


Gente olha aí meu novo (e odioso)cabelo. Tô numa gana tão grande dele, que quase me arrependo de ter feito franja.
A última vez que eu usei franja na minha vida eu tinha 16 anos e até que combinava, agora que tô com quase 36 não combina nadica de nada(mas na minha cunhada tinha ficado tão legal...).
Mas tudo bem, cabelo cresce né?

24 de ago de 2008

O Selo - a saga


Gente esse selinho tá me rendendo enormes felicidades.
Como sou um pouquinho, só um pouquinho "topeira", deduzi que eu só podia dar o selinho 100 pra 5 pessoas, daí a Monique(Você pode e deve repassar pra quantos blogs você quiser!!!E que esse selo va passando por varios blogs,enchendo ainda mais esse nosso mundo virtual de alegria!!!) vendo minha aflição, falou que posso dar pra quantos blogs eu quizer, adivinha???
Vou fazer uma nova nomeação.
Quem já recebeu fica valendo.
Quem eu já vi que recebeu, como a Geisa e a Bel, por meio do blog da Biana também.
E as indicadas(isso mesmo, só meninas!) são:
Tânia, no Blogando Arte e Me Vendo As Avessas, quem não conhece corre lá pra se deliciar!
Nina, nos meus amados Entre Mãe e Filha e Menina Feliz.
Carlinha, com muitos Devaneios e poucas Neuroses.
Flavinha, porque recomeçar é necessário, no Flavinha e Seu Mundo.
Carolzinha, que está estudando à beça pro Vestiba, no Pelas Tabelas/Eu Desatinei.
Laura minha animé favorita no Adolescendo.
O Três Contra Um, divertidissímo!
Cris de Bourbon que já tem nome de princesa no Jeito Fiona de Ser.
Pitanga, com todos os seus frutos e textos maneirissímos!
A novamente só que agora na Histórias pra Gabriel Dormir, fofo, fofo e fofo!

22 de ago de 2008

Mais Um Selo Muito Lindo!

Ahaaaaaaaaaa!!
Olha só, naturalmente já sou uma pessoa bem convencida, sou bem bobona mesmo.
Daí ganhei um selinho da Monique, que é um doce e escreveu bem assim pra mim:
"Eu vou repassar esse selo para o blog da mãe do Pedro e do Caio, o 1000 Passos para Algum Lugar, é um blog maravilhoso, com um texto leve e viciante."

Eu vi lá na Monique que ela indicou mais cinco pessoas pra receber, então vou repassar pra mais cinco ok?
Como eu tenho um quase circulo fechado de blogs, vou tentar passar de modo que todas recebam ok? Porque se eu mandar pra Marcinha eu sei que ela vai repassar pra mais algumas meninas muito queridas pra quem eu passaria se não fosse um número limitado de indicações.
Então lá vai os Indicados desse selo são:
Marcinha do delicioso Dia a Dia, com muitas melhoras pra pequena princesa miliante Lara,
Biana do iniciante Sem Mais,
Lilian do viciante e interessante Achados do Dia,
Fernanda, do vou com tudo e não tô prosa, Marmota Pelada e
Amanda, minha sobrinha mais velha e preferida do mundo inteiro, no Mundo da Amanda.
Sendo assim acho que o selo estará em bons blogs, divertidos e diversificados ok?
Espero que todas as pessoas que eu penso que irão receber também recebam, daí a função do selo estará totalmente cumprida.

Beijins na Monique que é um doce e já ganhou meu coração também!
P.S.: Se me permitem, vou lançar mão de um artifício novo, depois que todas as indicadas tomarem pra si os seus selos, se eu ver que algumas das minhas Meninas ficaram sem receber, vou fazer uma nova nomeação ok?
Porque todos os blogs que leio, são 100!!

20 de ago de 2008

...

Tô quase sem tempo de vir por aqui, minha irmã/amiga/mãe e comadre está passando uns diazinhos por aqui, o pouco que venho e pra ler um pouco dos escritos de vocês.
Quem ficar sem minha resposta, não é pouco caso não, é que estou totalmente corujando minha irmãzinha que está grávida.
Semana que vem volta tudo ao normal.
Hoje fiz uma franja no meu cabelo. Ai meu Deus!
Tô lindona!(com a voz da 1 Cuca do Sitio do Pica Pau Amarelo)
hehehehe

19 de ago de 2008

Punk/Dark

Minha adolescência foi muito massa.
Vivi tudo com muita intensidade, mas não fui neurótica com a fase, nem entrei em guerra comigo mesmo. Nessa fase aprendi a gostar de política, coisa que gosto até hoje, aprendi a beijar na boca, a ser amigona e aprendi a reconhecer boa música.
Mas é claro, que tive fases de total vergonha e fase negra.
Hoje vou falar da minha fase punk/dark.
Na verdade essa fase durou pouquissímo, porque eu gostava(e ainda gosto) muito de cores e usar só preto pra mim não era uma opção.
Mas foi uma fase muito rica musicalmente falando, porque ainda gosto do tipo de música que ouvia na década de 80, e acho o som dos anos 2.000 um saco, com algumas exceções, é claro.
Quem era adolescente, criança ou quase adulto, vai lembrar de algumas coisas, eu esqueci nome de bandas e nomes de músicas, mas sei cantar(com minha voz "maravilhosa") alguns pedaços. Mas não vou torturar ninguém.
Conheci o The Cure com Boys Don't Cry, Replicantes com Surfista Calhorda, Ira com Envelheço na Cidade e Plebe Rude com Até Quando Esperar. Como eu falei tem tantas outras bandas que não consigo lembrar o nome nem o nome da música, mas sei a letra que é uma beleza... Claro que o punk que eu escutava era um punk de ordem, era um punk mais arrumadinho, porque na mesma década de 80 lembro de escutar Ratos do Porão e achar feio e sujo, mas que depois na década de 90 fui a um Show da banda e achei engraçado e bizarro. Dancei à beça e falei muito palavrão... Coisas dos meus 18 anos.
Escutei muito The Clash e um pouco de Sex Pistols sem entender coisa alguma da letra, apenas ia na melodia.
Depois da fase punk/dark houve um "movimento" que se chamava gótico, no qual eu também não me encaixava, tinha um lance com cemitérios a noite(morro de medo de dia, imagina de noite!), então não entrei em nenhuma turma específica, a turma que já era a minha gostava de tudo, até do Air Supplay(!) que eu amo(pausa pra ficar vermelha).
A década de 80 foi muito massa mesmo.
Não sinto vontade de voltar pra lá, porque eu usei umas das modas mais feias que já existiu, usei laço da "viúva Porcina", usei calça fuseaux de lycra nas cores mais berrantes, usei camisetas e biquinis nas cores néons, tipo camiseta com bateria, que parece que você está acesso uma loucura mesmo, graças ao bom Deus, quase não tenho fotos dessa época!

14 de ago de 2008

Um pouco de nada

Vi isso na revista Criativa desse mês e achei curioso.
Dá uma olhada aqui..
É so pra rir e descontrair.

Minhas Descobertas!

Na minha vida, descobri quase tudo sozinha.
Vou esclarecer o quase.
Quando a gente é criança, "acha e acredita", que descobre tudo sozinho, que antes da gente olhar o céu não existe estrelas, que antes da gente escutar "La Bamba" ninguém nuca escutou...
Quando a gente é criança, a mãe da gente fala: -Sai dai de cima senão você vai cair. Você continua "lá em cima", não cai e se acha um rei ou rainha!
Quando a gente é criança, a gente tem certeza que sua mãe nunca descobriu aquele fundo falso no armário dela... que ela "esqueceu" dinheiro numa bolsa pouco usada...
E a gente acredita que descobriu tudo sozinha, que gravidade existe, que somando sempre aumenta, que quando anoitece escurece... Coisas assim.
Quando eu cresci, e fui tomar conta da minha vida, já não era mais menina, já tinha quase 23 anos e tava indo morar sozinha pela primeira vez na vida!
Não que eu quizesse ir morar sozinha, mas era necessário.
Então eu descobri coisas preciosas, e aí realmente eu estava sozinha.
Aprendi a fazer arroz pra uma pessoa só. Sem deixar sobras. Hoje sei fazer arroz na conta certa pra sempre ter arroz fresco em casa.
Aprendi a pagar contas de verdade, não conta de roupas e sapatos, mas conta de luz, água, telefone, aluguel e mercado.
Aprendi a confiar em mim e no meu sexto-sentido.
Aprendi a ouvir conselhos, aproveitar o que é bom e descartar o que não me servia.
Aprendi a ser desconfiada, não sei até onde isso foi bom, mas na época me livrou de alguns apuros.
Aprendi o valor das coisas.
Aprendi o valor das pessoas.
Aprendi a ficar sozinha.
Aprendi que "quando a esmola é demais o santo desconfia".
Depois me transformei mãe, e foi uma das mudanças mais duras e difíceis da minha vida.
Descobri que responsabilidade, não é só cuidar do que me pertence. É cuidar de um todo.
Aos poucos fui aprendendo na marra, que filho, tem outro ritmo, outro tempo, outra visão. Vou respeitando isso. Vou me mudando um pouco. Vou me firmando.
Quando tive meu primeiro filho, cai na besteira de escutar conselhos de pessoas que não tinham filhos ou de pessoas que não viviam a mesma situação que eu.
Resultado: Vivia frustrada, achando que estava fazendo tudo errado.
Hoje eu aprendi que conselho só funciona se você viveu ou vive situação similar, do contrário esqueça! É balela!
Tô aprendendo muito, tô vivendo muito e tô gostando muito.

9 de ago de 2008

Musiquinha porque não vivo sem!

Uns vão achar chato, outros legal e pra outros nem fará diferença.
Resolvi musicar o meu blogzinho.
Então se você não está afim de escutar o que meu ouvido atura é só dar uma pause e o silêncio imperará novamente:)

8 de ago de 2008

Uma Musiquinha Pra Descontrair

Nos anos 80 fui muito fã dos caras, ainda sou fã, só que não mais muito. As letras as daquela época ainda me pegam quase na veia.
Escuta só se tem algo mais atual?
Só por favor escute a música até o fim ok?
 Engenheiros do hawaii - O Exército de um homem só

A letra:
Não importa se só tocam
O primeiro acorde da canção
A gente escreve o resto em linhas tortas
Nas portas da percepção
Em paredes de banheiro
Nas folhas que o outono leva ao chão
Em livros de estórias seremos a memória dos dias que
virão
Se é que eles virão
Não importa se só tocam
O primeiro verso da canção
A gente escreve o resto sem muita pressa
Com muita precisão
Nos interessa o que não foi impresso
E continua sendo escrito à mão
Escrito à luz de velas quase na escuridão
Longe da multidão
Somos um exército, o exército de um homem só
No difícil exercício de viver em paz
Somos um exército, o exército de um homem só
Sem bandeira
Sem fronteiras
Pra defender
Pra defender
Não importa se só tocam
O primeiro acorde da canção
A gente escreve o resto e o resto é resto
É falsificação
Sangue falso, bangue-bangue italiano
Suíngue falso, turista americano
Livres desta estória, a nossa trajetória não precisa
explicação
E não tem explicação
Somos um exército... até ...pra defender
Não interessa o que o bom senso diz
Não interessa o que diz o rei
Se o jogo não há juiz
Não há jogada fora da lei
Não interessa o que diz o ditado
Não interessa o que o Estado diz
Nós falamos outra língua
Moramos em outro país
Somos um exército, o exército de um homem só
No difícil exercício de viver em paz
Somos um exército, o exército de um homem só
Todos sabem
Que tanto faz
Ser culpado
Ou ser capaz..

Gentileza Gera Gentileza


Em algum momento ela se perdeu.

Prazer X Culpa

Esse é o desafio que a Nina me passou, sou uma pessoa que carrega poucas culpas na vida viu? Sou desapegada mesmo de tal sentimento, então tive que pensar bastante e ainda acho que não pensei suficiente.
Ela pede que eu escreva 10(se eu passar do quinto já fico louquinha de feliz) coisas as quais faço com prazer mas que depois me sinto culpada por ter feito, vamos lá então:

Toda vez que vou ao McDonalds, mato todas as vontades de junk foods, como, como, como... Depois no final das contas me sinto totalmente culpada por gastar $12 dinheiros em cada lanche, sendo que com a mesma grana iria num restaurante e comeria uma bela refeição e ainda sobraria uma bela quantia!

Quando tenho um troquinho e posso gastar comigo mesma, sinto-me tão culpada que acabo comprando algo pros meninos(fala sério né???), e depois me sinto culpada por não ter me dado um agradinho(vai ser complicada assim, lá na China).

Nas raras vezes que acontece de sair só eu e o maridones, me divirto as pampas, mas quando chego em casa e vejo os pimpolhos sinto-me culpada por não ter levado eles junto comigo...

Quando vejo uma super PROMOÇÃO e resisto bravamente e não compro nada, me sinto culpada(e idiota) em não ter aproveitado tal oportunidade.

Quando estou fazendo um curso ou qualquer coisa do gênero que tive que pagar inscrição ou mensalidade, faço de tudo pra não faltar, me dedico a fundo, afinal dinheiro não nasce me árvores. Mas quando acontece, de eu não poder ir, morro numa culpa só. Terrível.

Quando venho desligar o computador, e ao invés de sentar aqui e apertar o desligar me distraio lendo notícias, blogs, atualizando o orkut, botando papo em dia... Quando vejo já perdi quase 2 horas de sono, culpa, culpa culpa!

Não sei mais o que me faz sentir culpada ou boba, mas quando eu descobrir alguma coisa atualizo.

6 de ago de 2008

Sessão da Tarde


A TV(paga) tem me dado bons filminhos no período da tarde, período que uso pra botar a casa em ordem. Não que eu consiga sentar, deitar e me esparramar pra ver o filme todo, vejo pedaços e já acho pra lá de bom.
Filmes bons pra mim, nesse momento e com meu gosto pra lá de duvidoso, são os filmes bem "mulherzinha", onde há muito romance, comédia, drama e beijos, muuuuuitos beijos.
Numa tarde, peguei já começado Laços de Ternura(Terms of Endearment), que eu acho uma graça, amo o Jack Nicholson, o que me lembra um outro filme dele que também fui premiada por esses dias, Alguém Tem Que Ceder(Something's gotta give), que pra mim, são dois personagens irmãos. Laços de Ternura me lembra uma outra época da minha vida, uma que nem vivi mas que de tanto ver e rever o filme acredito que passei por tudo aquilo que a Emma passou. Se você não sabe o que, veja o filme.
Ontem, eu acordei muito Macunaíma, e resolvi no final da tarde curtir a minha preguiça, liguei a TV e fiquei re-vendo o filme, Muito Bem Acompanhada(The Wedding Date), gosto do filme acho o Dermot Mulroney, que faz o papel do acompanhate um gato já até quis casar com ele em outro filme(Quatro Mulheres e Um Destino-Bad Girls), ele também é o melhor amigo da Julia Roberts no O Casamento do Meu Melhor Amigo(My Best Friend's Wedding).
Depois mudei de canal e tava passando Escrito Nas Estrelas(Serendipity), o filme em si não é lá essas coisas, mas gosto mesmo assim, lembrem-se tenho o gosto bem duvidoso(hehehe),o John Cusack está no filme.
Outro filme bem gostosinho e que está passando pela milionésima vez no Telecine, é Encontro Marcado(Meet Joe Black), com Brad Pitt, mas que no meu gosto quem brilha mesmo é o Anthony Hopkins, falando nele, no domingo eu acho, não tenho certeza, assisti(em fragmentos) Os Amores de Picasso(Surviving Picasso), gosto muito, tem no elenco também a gatissíma Julianne Moore, o que me faz lembrar de um filme que eu vi semana passada, mas esse eu vi já tarde da noite, Totalmente Apaixonados(Trust the Man), o filme é uma loucura só, encontro e desencontros quase o filme todo, uma delícia pra quem gosta de final feliz(EU!), o que me lembra também de um filme que eu assisti um milhão de vezes durante a gravidez do Caio, Nove Meses(Nine Months), águinha com açúcar, mas bonzinho também, sem falar que tem o meu preferido no momento o Hugh Grant(suspiros).
Hoje ainda é quarta-feira, tenho mais dois dias de filminhos feito sob medida pra mim, porque no sábado sou totalmente dos meninos, e a TV quando ligada fica praticamente o tempo todo ou na Nick ou na Discovery Kids.

5 de ago de 2008

Xô preguiça. Sai desse corpo que não te pertence!

Eu me desafio a responder o desafio que a Nina me passou.

Mas não hoje, porque acordei Macunaíma!