1 de jul de 2008

O TOC meu de cada dia

Tenho TOC.
E uma das coisas mais hilárias em se ter TOC é a reação das pessoas em volta, não os que convivem comigo, porque como tenho fama de doidinha eles nem percebem, mas dos conhecidos e desconhecidos. Me dá até um prazer, porque quando era mais nova morria de constrangimento.
O TOQUEZINHO que tenho é leve, inofensivo e ainda não vi em nenhum filme, mas é do balaco...
As vezes do nada mesmo, sem uma explicação científica tenho que repetir em voz alta(um dia já foi ao berros) uma palavra, eu vejo a palavra escrita, com acentos e tudo na minha cabeça, uma beleza, daí vem a vontade que quase se mistura com uma falta de ar absurda, pronto tá criado o TOC, tenho que falar, com 10 anos eu gritava com 35 eu falo.
O problema é quando eu tenho isso num ônibus relativamente cheio, exame ginecológico, igreja...
Fiz um concurso no domingo e me coçou tanto a tal palavra, que eu já tava quase ficando roxa de sem ar, o jeito foi pedir pra ir no banheiro e a palavra era, PING-PONG... hahahaha
É mole?
Eu dividida entre investimentos bancários e PING-PONG.
Fala sério né?
Quando sai do reservado, a fiscal só ficou me olhando com uma cara de "tá maluca?", olhei pra ela e falei, "TOC".
Aposto um doce que ela não entendeu nada.
TOC é algo que não se controla, acho que nem tomando remédios, porque além de ser portadora de um transtorno obsessivo-compulsivo, tenho problema com a depressão, mas esse já é um outro assunto, e as vezes vejo a necessidade de ingirir algumas pílulas da felicidade e o toquezinho companheiro de guerras não me abandona.
Mas, apesar de tudo, do constrangimento que me causou na infância e parte da adolescência porque com 15 anos eu já ria disso, me divirto com a reação das pessoas.
Porque RIR É O MELHOR REMÉDIO!

9 comentários:

Pitanga Doce disse...

Toc toc! Alguém em casa?

Ai que esta foi infame, mas olha é mais comum do que se pensa, mesmo porque, quem não tem umas coisas esquisitas? Só que os outros não falam nada. Não tinha um sujeito no Big Brother que contava os dedos sem parar? Então?

bjs, Sonia

Anônimo disse...

É, essa é a Tia Gi que eu conheço[e amo também]
Beeijos*

Amanda disse...

Ixx, foi como anônimo, mas vc sabe que é eu né?!

Beautiful Stranger disse...

um sorriso traz alegria, paz, acalma; 'rir é sim um ótimo remédio'...

:D
http://strangerbeautiful.blogspot.com/

Carol disse...

Eu sempre ouvi falar de TOC,mas esse é realmente muito peculiar!Repetir palavras em voz alta,nunca havia ouvido falar nisso.
Hoje em dia,é bom que você já tenha aprendido a conviver com isso,mas deve ter sido realmente complicado na infância e na adolescência.Até porque são as fases em que as pessoas são mais sinceras,então o que as pessoas achassem,deveriam te dizer.Mas você está aí,viva,forte e mais experiente.Consguiu ^^
Você conseguiu arrumar uma boa saída para o problema do banheiro!PARABÉNS!!XDD
Beijooos ;********

Nina disse...

Uau Soninha, qd vc falou em problema, num outro comentário, então isso tbm fazia parte das dificuldades? Eu imagino só uma coisa, a mulher forte por trás do toc e da deprê. E fico contente em ver que admiro mais ainda vc por ser quem e como é. E rir, é mesmo o melhor remédio pra tudo.
Um beijão no coração, e como dizem os alemaes, "du bist prima! super!" (Vc é demais!)

Marsyah disse...

Pôxa Soninha, mais uma em comum...

Agora, olha só, tem uma vaguinha no meu hospício, viu?!

rs. Bjux, bjux!

. disse...

Eu tenho TOC.
O meu é patético (como quase todos os TOCs).
Eu sempre volto par checar se o carro está trancado direito. Mesmo que eu tenha escutado o barulinho do alarme, tento seguir em frente, mas não resisto, volto e checo as portas.

Doente!

SGi/Sonia disse...

"Gentes"
Eu confesso.
Sou uma comédia.
Sabe por que?
Porque eu me divirto muito com esse "toquezinho" que tenho.
Gosto de ver a reação das pessoas.
Maldade? Claro que não.
É diversão mesmo!